Seu browser não tem suporte ao JavaScript!
Recursos de
Acessibilidade:  
Tecle Alt+1 : ir ao conteúdo Tecle Alt+2 : ir ao mapa do site Texto menor Texto maior Contraste                 
Marília, 19 de outubro de 2017
imagem
WILSON ALVES DAMASCENO - PSDB
Vereadores
19ª LEGISLATURA

Presidente Atual
WILSON ALVES DAMASCENO
CÍCERO CARLOS DA SILVA - PVDANILO AUGUSTO BIGESCHI - PSBEVANDRO DE OLIVEIRA GALETE - PODEJOÃO DOS SANTOS DINIZ NETO - PHS
JOSÉ CARLOS ALBUQUERQUE - PRB
JOSÉ LUIZ ZACHARIAS DE QUEIROZ - PSDBLUIZ EDUARDO NARDI - PRMARCOS JOSÉ CUSTÓDIO - PSC
MARCOS SANTANA REZENDE - PSD
MÁRIO CORAÍNI JÚNIOR - PTBMAURÍCIO ROBERTO - PPSILVIA DANIELA DOMINGOS D'AVILA ALVES - PR
Próxima Sessão

Sessão Solene

Título de Cidadão Mariliense ao

Sr. Júlio César Brandão

20/10/2017 - sexta-feira - 20h

Tv Câmara
Tv Câmara Agora
Tv Câmara no YouTube
Espaço Tv Câmara
Data: 26/09/2017 Hora: 15:58:04
Comissão de vereadores atende moradores de Amadeu Amaral

Foto:Comissão de vereadores recebem moradores de Amadeu

Durante a última sessão da Câmara de Marília realizada, na segunda-feira, 25, uma comissão de vereadores atendeu cerca de 50 pessoas do distrito de Amadeu Amaral que reivindicaram o serviço de transporte coletivo, encerrado em março deste ano no distrito.

Formada pelos vereadores, Evandro Galete (Podemos) Maurício Roberto (PP) e João do Bar (PRB), a comissão atendeu os moradores do distrito na sala Nassib Cury, onde o subprefeito de Amadeu Amaral, Eduardo de Oliveira Lopes, disse que a empresa que atendia os moradores deixou de realizar o serviço alegando que o número de passageiros é insuficiente. "O dono da empresa que fazia o transporte ficou, por dois meses, realizando o serviço para os moradores, mesmo sem contrato. Depois, disse que teria que aguardar a abertura da licitação para continuar. Quando ela (licitação) foi aberta, ele desistiu porque não há muitos passageiros e para ele não compensa, financeiramente, realizar o trabalho", disse Lopes.

Ainda de acordo com Eduardo Lopes, depois da paralisação do serviço de transporte, os moradores passaram a utilizar o mesmo ônibus que transporta, gratuitamente, os alunos do distrito para o centro de Marília, mediante o pagamento de R$ 10,00 por viagem. Mas uma decisão judicial impediu que estudantes dividissem o mesmo transporte que trabalhadores.

A diarista Ângela Maria Ramos Moggio disse que muitas pessoas estão perdendo o emprego pela falta de transporte. " Viemos pedir ajuda aos vereadores para que a gente tenha uma resposta sobre este problema do transporte. No meu caso, trabalho três dias por semana como diarista e tínhamos a empresa que nos trazia para Marília às 6h e nos levava de volta às 18h 30. Estamos há três meses sem transporte, tendo que pegar carona com as pessoas que têm carro para não perdermos o trabalho. Mesmo assim, algumas pessoas perderam o emprego e outras, como eu, perderam consultas médicas por falta deste serviço", disse.

Os vereadores da comissão apresentaram uma proposta que agradou aos moradores e que deverá ser apresentada ao prefeito Daniel Alonso, em reunião que deverá ser agendada esta semana. "Os moradores estão abandonados e sem transporte há um bom tempo. A ideia é tentar incluir no contrato de transporte de estudantes, que a empresa vencedora da licitação, seja obrigada a fornecer também uma perua ou van de transporte aos moradores. Como o contrato de transporte dos alunos é anual, tentaremos promover esta alteração já para o ano que vem, se possível", disse o vereador Evandro Galete.

Para o vereador João do Bar, o problema precisa de uma solução rápida e efetiva. "Na verdade, este é um problema que vem se arrastando há bastante tempo. Nós fizemos uma visita ao distrito e a população nos cobrou uma solução. Já consultamos o setor de licitações da prefeitura e constatamos que, realmente, não há nenhuma empresa interessada em prestar este serviço pelo baixo número de passageiros. Mas vamos encaminhar ao prefeito Daniel Alonso esta reivindicação e as propostas que temos para conseguirmos resolver isto, o mais rápido possível".

   O vereador Maurício Roberto ressaltou que a população de Amadeu Amaral não pode continuar sem transporte. "Como já existe uma empresa que transporta os estudantes do distrito, e como nenhuma outra empresa se interessou pelo transporte dos trabalhadores por ser um número insuficiente de passageiros, o melhor que temos a fazer é tentar alterar o contrato do transporte de alunos para atender, mesmo que seja com outro veículo, o restante da população. O que não podemos permitir é que as pessoas percam o emprego, deixem de pagar as contas, percam as consultas médicas por falta de transporte. Vamos nos reunir com o prefeito e buscar uma solução", finalizou Maurício Roberto.